quinta-feira, 8 de julho de 2010

Por que nem todos?

Ao som de “Alagados”, “Uma Brasileira”, “Meu Erro”, “Lanterna dos Afogados”, o público acompanhou o show de abertura da 37º EAPIC (Exposição Agropecuária Industrial e Comercial de São João da Boa Vista), na noite de quinta-feira (08 de julho), no Recinto de Exposições José Ruy de Lima Azevedo. Herbert Viana, Bi Ribeiro e João Barone, acompanhados pelos músicos de apoio trouxeram ao palco uma apresentação que agradou os fãs da banda carioca fundada no final da década de 1970.
Durante entrevista coletiva concedida às emissoras de televisão, apenas o líder dos Paralamas conversou sobre a carreira da banda. Debilitado em cima de uma cadeira de rodas motivado por um acidente aéreo em 2001, Herbert atendeu parte da imprensa.
Do lado de fora, alguns profissionais de comunicação ficaram perplexos pela maneira em que foram tratados pelos assessores dos Paralamas. Repórteres de rádio, jornais e sites não puderam participar. Somente câmeras e microfones de quatro emissoras de TV puderam entrar no camarim.
E, o pior é que isso vem acontecendo com freqüência, em shows de grandes artistas realizados na região. No ano passado, no show de Vitor e Léo, ocorreu o mesmo fato. Diante disso é possível fazer a seguinte pergunta: por que impedir que os radialistas, principalmente, façam entrevistas com os artistas?
Talvez a resposta seja que alguns deles tenham se esquecido que no passado, bem lá no começo da carreira, foram às pequenas emissoras de rádio do interior, que lhes abriram as portas para que as músicas pudessem se tornar conhecidas e de sucesso. Pode ser que tenham apagado da memória.
Mas, já imaginou se todas as emissoras de rádio do país parassem de executar as músicas de alguns artistas que não concedem entrevistas para radialistas?
Será que fariam tanto sucesso, assim? Será que ganhariam disco de ouro, de platina, venderiam milhões?
É de se estudar, principalmente aqueles que estão começando. É bom que tenham conhecimento para que não cometam o erro chamado falta de gratidão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário