quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Atenção à base

Eu compreendo que, no início da temporada, é preciso que haja um pouco de paciência até que as novas peças mostrem o porquê de terem sido contratadas para vestir a “pesada” camisa do Santos. Mas, nem todos os torcedores pensam da mesma forma. Sem tanta espera, a maioria quer que o resultado positivo surja de imediato – o que não é simples.

No Peixe, por mais que houve a manutenção da base do time do ano passado, os reforços que chegaram ainda não “falam a mesma língua”, o que é normal, por enquanto. Precisam se entrosar mais dentro de campo para deixar o torcedor satisfeito.

Até o momento, o Alvinegro Praiano não sabe o que é derrota no Paulistão. No primeiro clássico do estadual, contra o Palmeiras, o time comandado por Dorival Júnior empatou fora de casa em jogo que poderia ter sido favorável ao visitante, não fosse a quantidade de gols desperdiçada, principalmente, por Gabriel Barbosa, que prefere não ser chamado de Gabigol, para fugir da pressão que carrega no apelido. Não perdeu, menos mal.

Com as saídas de Marquinhos Gabriel e Geuvânio, o Santos não conseguiu um substituto à altura.

Paulinho, que veio do Flamengo, é bom jogador, mas rendeu pouco até o momento. É necessário mais tempo para avaliação. Com as previstas saídas de Lucas Lima, Gabriel e, até, Ricardo Oliveira – na próxima janela de transferências -, talvez, a solução possa estar na molecada recém-chegada da base. 

Tendo em vista os craques descobertos há pouco tempo, é bem provável que não seja tão difícil garimpar outras joias pelos lados de Vila Belmiro. Pode procurar porque lá tem.


Nenhum comentário:

Postar um comentário