quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Saudades da Maratona


Ao chegar à Praça Coronel Joaquim José para fazer a cobertura da cerimônia de abertura da 31ª Maratona Integração Escolas/Comunidade bateu-me uma tremenda saudade do tempo em que disputava a competição defendendo a Escola Padre Josué Silveira de Mattos. Eu e meus irmãos Márcio e Oswaldinho disputamos várias edições da Maratona nas modalidades: futebol e futsal. Era muito legal, porque a “convocação” feita pelo professor de educação física gerava grande expectativa antes dos nomes dos atletas serem divulgados. Felizmente, estive em todas.
Na época, a abertura do evento era realizada no ginásio Nildes Fontão, no CIC (Centro de Integração Comunitária), que por sinal, ficava lotado. A rivalidade entre as escolas era gigante. Não digo em termos de briga ou coisa do tipo, mas sim, no quesito de ver quem era o melhor na competição. Era diferente. Se o jogo de futebol era de manhã, o do futsal era à tarde. Cansaço? Nem pensar. Queria jogar mais e mais. Não media esforços.
Hoje, percebo que houve uma grande mudança. Se comparada aos velhos tempos, não sei dizer se a vontade dos alunos é a mesma de antigamente em querer jogar pela escola. Talvez, não, porque os jogos eletrônicos (computador, vídeo game e outras modernidades) de certa forma, acabaram “invadindo” a vida deles e “impedindo” à prática esportiva com mais intensidade, o que é um absurdo.
Está certo que temos que evoluir na parte tecnológica, mas esquecer do esporte, jamais. Esporte não é apenas competição e sim saúde e desenvolvimento. Por isso, penso que as escolas deveriam incentivar cada vez mais os alunos.
A partir da próxima segunda-feira, dia 17, começam os jogos da Maratona. Espero que a importante competição com mais de três décadas de existência sirva de exemplo de incentivo ao esporte. Também torço para que as chamas da Maratona Integração Escolas/Comunidade se mantenham sempre acesas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário