segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Sanjoanense Alessandro é um dos artilheiros do Brasileirão


Da Vila Trafani, para os grandes clubes do Brasil

Sobrou na área, bola na rede. Mesmo com o time lá embaixo nas últimas posições, o atacante Alessandro tem sido destaque do América (MG) no Campeonato Brasileiro. O camisa 9 já balançou as redes por 7 vezes na competição. Está apenas atrás de Ronaldinho Gaúcho (Flamengo), com 9; e Borges (Santos), com 8 gols.

Nascido em São João da Boa Vista (SP), precisamente na Vila Trafani (popular Vila do Sapo), bem próximo ao campo do CIC, no Santo André, o jogador começou a atuar na Sociedade Esportiva Sanjoanense, antes de completar 10 anos de idade. Foi descoberto pelo técnico Helinho, durante um campeonato de futsal, disputado no São Lázaro.

Passados alguns anos, depois de mostrar que tinha muita qualidade e habilidade, Alessandro se transferiu para as categorias de base do América (MG). Apesar de ter tornado-se jogador consagrado, o atacante sempre revela que não foi nada fácil no início da carreira, quando teve que deixar os pais para morar sozinho, em Belo Horizonte (MG). Em uma das conversas que tive com ele, no final do ano passado, o sanjoanense afirmou que morou num alojamento com vários atletas, que também tentavam a realização do sonho. Poderia ter desistido, mas, preferiu continuar. Alguns seguiram, outros não. Alessandro deu certo. Tanto que aos 17 anos, foi convocado para defender a Seleção Brasileira sub 17, que por sinal, foi campeã. Ainda no América, aos 18 anos, fez o gol que deu o título de campeão mineiro em cima do Atlético Mineiro em 2001. O jogo terminou em 3 a 1 para o Galo, mas o gol de Alessandro levou o Coelho ao título, silenciando o Mineirão tomado por atleticanos fanáticos.

No currículo do jogador estão registradas passagens por grandes clubes. No Rio de Janeiro, ele só ainda não atuou pelo Botafogo. Esteve no Fluminense, Flamengo e Vasco. Em Minas, defendeu os grandes: Cruzeiro e Atlético, além do América, clube que defende atualmente, e do Ipatinga, equipe que o consagrou artilheiro da Série B, em duas edições (2007 e 2010). Também teve rápidas passagens por Sport Recife e Juventude. No exterior, jogou no Feynoord (Bélgica) e Albirex Nigata (Japão).

Aos 29 anos, Alessandro espera ser o artilheiro do Brasileirão, mas também deve se preocupar muito em livrar o América do rebaixamento. Neste momento, o Coelho está na lanterna da competição com apenas 11 pontos. O próximo desafio é quinta-feira, dia 18, contra o São Paulo, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG). É a chance que Alessandro tem de balançar a rede do Rogério Ceni, ajudar o América a somar pontos, fazer sombra a Ronaldinho Gaúcho e Borges - artilheiros do campeonato - e provar que é um sanjoanense com faro de gol.

Nenhum comentário:

Postar um comentário