domingo, 28 de agosto de 2011

O que São João tem a ver com Oscar?

                 Olheiro do São Paulo descobriu Oscar em São João da Boa Vista em 2005

Para um goleiro que ainda não havia sofrido nenhum gol na competição, não deve ter sido fácil buscar a bola no fundo da rede por 3 vezes, e ainda saber que os gols foram marcados pelo mesmo jogador. Estamos falando do goleiro Mika, de Portugal; e do meio-campista Oscar, do Brasil; durante a final do mundial sub-20, disputado em Bogotá, na Colômbia, no dia 20 de agosto, em que a seleção brasileira venceu por 3 a 2, a seleção portuguesa, conquistando o pentacampeonato da categoria.
Oscar, sem dúvida, foi o nome do jogo. Afinal, fazer 3 gols numa mesma partida e dar o título a uma nação não é para qualquer um. Talentoso, habilidoso e ainda franzino, o meio-campista do Internacional (RS) nasceu na cidade paulista de Americana.
Talvez, muitos não dêem tanta importância, mas a carreira do jovem atleta, pode ter começado a decolar em São João da Boa Vista (SP), mesmo que o jogador não tenha atuado por nenhum clube da cidade. São coisas que acontecem no futebol envolvendo momento e hora certa.
Em 2005, quando tinha apenas 14 anos, Oscar esteve em São João da Boa Vista para disputar a 6ª Taça Internacional de Futebol do Interior Paulista, realizada pela Rick Eventos, que por sinal, promove anualmente a competição na cidade desde 2003.
Na ocasião, o jogador defendeu a equipe “Chuteira de Ouro” de Campinas (SP) e foi o artilheiro da categoria sub-14, com 18 gols em 7 partidas. O excelente desempenho despertou interesse em um “olheiro” do São Paulo, que o levou para a capital paulista naquele mesmo ano. A informação foi confirmada no domingo, dia 28 de agosto, durante entrevista concedida pela mãe do jogador ao programa “Esporte Espetacular” da Rede Globo. “Ele foi descoberto numa competição em São João da Boa Vista”, afirmou.  
Oscar permaneceu no São Paulo por 4 anos, sendo uma das grandes apostas. No entanto, em 2009, com 18 anos, após confusão entre o empresário do jogador e a diretoria do São Paulo, fez com que Oscar conseguisse a liberação para sair do tricolor por não concordar com o contrato. Após o episódio, o atleta foi contratado pelo Internacional, onde permanece até os dias atuais. No entanto, como foi um dos destaques da seleção no mundial sub-20, propostas do exterior já começaram surgiram. Resta saber qual será o destino do talento.
Contei apenas um pedacinho da história do Oscar, que após disputar uma competição em São João da Boa Vista, conseguiu ser observado e levado para uma grande equipe. Aliás, além de Oscar, a Taça Internacional realizada em São João já recebeu diversos atletas que estão brilhando no futebol brasileiro. 


O polêmico Jobson, que defendeu Botafogo, Atlético Mineiro, e recentemente foi desligado do Bahia, por indisciplina, disputou a 7ª edição da Taça Internacional em 2006, quando foi artilheiro da categoria sub-18 pelo Clube Atlético Brasília (DF), ao marcar 8 gols. 


O atacante Tiago Luis, da Ponte Preta, que está emprestado pelo Santos, também brilhou nos gramados de São João em 2003, quando foi o artilheiro da 4ª Taça Internacional, categoria sub-14, pelo São Paulo Center de Ribeirão Preto (SP) ao balançar as redes por 14 vezes.

Infelizmente, no currículo destes jogadores não consta à verdadeira origem. No caso de Oscar, por exemplo, a informação é de que ele foi revelado pelo São Paulo, o que deixa de ser verdade. Sem dúvida, o “Chuteira de Ouro” de Campinas, foi o clube que ofereceu espaço para que o jogador pudesse disputar competições, aparecer, ser levado ao tricolor e, mais tarde, tornar-se o homem que marcou três gols na final de um mundial, dando o título para a seleção sub-20.   



Nenhum comentário:

Postar um comentário