terça-feira, 12 de junho de 2018

Hexa virá somente com humildade e estratégia

Dentro de poucos dias, o apito irá soar. A bola irá rolar no tapete verde da arena Rostov, em Rostov-Do-Don, na gelada Rússia. É a estreia do Brasil na Copa do Mundo, em busca do hexacampeonato. Desta vez, a seleção brasileira chega como uma das favoritas ao prêmio máximo do futebol.

Embora o time comandado por Tite tenha se classificado nas eliminatórias de forma tranquila, com quatro rodadas de antecedência, e vencido quase todos os jogos amistosos, neste período, não significa que no mundial, onde literalmente o “bicho pega”, será moleza.

Tudo muda a todo instante. Principalmente no futebol. Quem acompanha a modalidade esportiva sabe que nem sempre o melhor vence uma partida ou uma competição. 

O favoritismo é lançado por terra quando atletas e comissão técnica se empolgam com o que pensam ser e, na verdade, não são. A velha e conhecida expressão do  “já ganhou” deve ficar apenas com os torcedores.

Humildade é a base de tudo para se chegar ao sucesso. Reconhecer a superioridade, sim. Iludir-se com ela, jamais. Neymar, Philipe Coutinho, Marcelo, Miranda, Gabriel Jesus e companhia são jogadores que fazem a diferença. Os adversários do Brasil sabem disso.

Mas, eles também têm conhecimento de como superá-los num jogo importante.
Neste domingo, 17, às 15h, a seleção brasileira entra em campo para enfrentar a Suíça. É o primeiro grande desafio de Tite. Não há mais espaço para testes. 

Agora é pra valer. O que passou, passou. Que os 7 a 1, contra a Alemanha, em 2014, sejam menos lembrados (impossível). É hora de uma nova realidade. Bem diferente da vergonha de quatro anos atrás.











Nenhum comentário:

Postar um comentário