quarta-feira, 27 de abril de 2016

Dizer que o Paulistão é fraco é fácil; difícil é vencê-lo

Não é porque São Paulo, Palmeiras e Corinthians não tiveram força e competência para derrotar o surpreendente Audax, no Paulistão, que o Santos fará o mesmo papel medíocre na decisão do Estadual. A torcida contra o Peixe no primeiro jogo, neste domingo, 1º, em Osasco, será imensa, como já é de se esperar.

Os “secadores” estão ligados. Com aquela famosa “dor de cotovelo”, pelo fato de os times deles terem sido eliminados, os rivais, agora, dizem que o “Paulistinha” é fraco demais e que o Santos só consegue ser campeão nele, o que não é verdade.

Pode até ser que o nível seja fraco. Mas por qual motivo, por exemplo, o São Paulo, não papa o título do campeonato desde 2005? Será mesmo que é a competição que deixa a desejar? Reflitam, tricolores.

Há oito anos, o Alvinegro Praiano chega à final de forma consecutiva. Mesmo quando se dedicou à conquista da terceira Taça Libertadores, em 2011, o clube foi campeão Paulista ao derrotar o Corinthians.

O Palmeiras vai completar quase uma década sem saber o que comemorar um título Paulista – última vez foi em 2008. Como criticar o campeonato se não consegue ser campeão há um bom tempo?

É ou não é “dor de cotovelo?”

Sobre o Audax, o Santos foi o único dos grandes que derrotou o clube de Osasco neste Paulistão. Na primeira fase, o Peixe, com time reserva, venceu o adversário, por 2 a 1.

É claro que a equipe organizada pelo técnico Fernando Diniz é qualificada e competente. Porém, apresenta muitas falhas durante os jogos. Gosta de jogar perigosamente e, às vezes, sem responsabilidade com toques arriscados.

Como o Santos é o dono do melhor ataque da competição e tem um meio de campo criativo e rápido, é bom que o clube do presidente Vampeta tome cuidado com as “brincadeiras” lá atrás.  

Quanto a tricolores, palmeirenses e corintianos, o que resta neste Paulistão é torcer para o Audax - time que venceu eles. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário