sexta-feira, 1 de junho de 2012

Comunidade negra comemora entrega do Centro Cultural Luiz Gama


De volta à comunidade negra, o prédio do Centro Cultural Municipal Luiz Gama, será entregue na quarta-feira, dia 6, com a cerimônia às 19h, no imóvel localizado à rua General Osório,13, região central de São João da Boa Vista, oportunidade em que será assinado o convênio de 30 anos entre Prefeitura Municipal e Associação dos Amigos do Clube Luiz Gama – responsável pela administração do imóvel.

Para fazer a entrega do prédio, a Prefeitura de São João – proprietária do imóvel – promoveu uma grande reforma no local, que inclui os serviços de troca do telhado, forro, piso, encanamento, torneiras, fiação elétrica, instalação de lâmpadas, pintura interna e externa, entre outros ajustes. Segundo o departamento de Cultura, neste primeiro momento, a Prefeitura arcará com as despesas relacionadas ao pagamento de água e luz.

Desativado pela justiça desde 2009, por dívidas de impostos municipais (IPTU), o clube acabou, na época, leiloado e arrematado por dois empresários locais no valor de R$ 165 mil reais. Desde então, representantes da comunidade sanjoanense e membros dos grupos União e Mudança Ayo, Protea e do próprio Clube Recreativo Luiz Gama - todos ligados à cultura negra - se mobilizaram e pediram apoio ao poder público, para que o prédio não fosse perdido.

Atendendo ao pedido dos interessados, a Prefeitura ouviu atentamente os representantes da comunidade sanjoanense e membros dos grupos do movimento negro da cidade. Com os dados em mãos, o prefeito Nelson Nicolau se comprometeu em desapropriar a sede do clube e devolve-la à comunidade negra.

Foram realizadas várias sessões legislativas, reuniões da comunidade negra e da administração municipal, até que o prédio fosse desapropriado legalmente, conforme havia prometido o prefeito Nelson Nicolau. Após o resgate do imóvel, o departamento Jurídico da Prefeitura, baseado em lei, definiu que o prédio somente poderia ser administrado por uma entidade criada para esse fim, com a finalidade do desenvolvimento, do fomento e da divulgação da cultura negra.

A partir de então, os membros dos grupos União e Mudança Ayo, Protea e Clube Recreativo Luiz Gama fundaram a Associação dos Amigos do Clube Luiz Gama, criada exatamente para administrar o prédio, nos mesmos moldes da AMITE (Amigos do Theatro Municipal), responsável pela administração do Theatro Municipal de São João da Boa Vista.

Atualmente, a diretoria da Associação é composta pelos seguintes membros: presidente - Dulcinéia Augusta Xavier Ribeiro; vice-presidente - Silvana Aparecida Gouveia Teodoro; 1ª secretária - Aurea Goreti Caetano; 2ª secretária - Jamile Iara Ribeiro Germinari; 1º tesoureiro - Vera Lucia Tavares; 2º tesoureiro - Marcos Paulo Pereira; Conselho Fiscal - Alonso Augusto Ribeiro Gouvea, Francisco Assis Martins Bezerra, e Adilson de Souza Gaspar; Conselho de Eventos - diretora Marlena Alexandre Bonfim; vice-diretor - Mercedes Gonçalves Dias; assessora jurídica - Maria de Lourdes Oliveira Juvêncio.
De acordo com a assessora jurídica da Associação, Maria de Lourdes Juvêncio, os eventos serão realizados conforme o calendário unificado das instituições que compõem a Associação (Grupo União e Mudança Ayo, Protea e Clube Recreativo Luiz Gama), além dos projetos apresentados que forem aprovados pelo conselho de eventos e diretoria.
Segundo a assessora, os bailes poderão ser realizados, mas ela ressalta que agora o lugar não é mais um clube e sim, um espaço cultural, voltado à preservação e divulgação da cultura negra. “Pode ser alugado para tal fim, desde que o baile não fira o estatuto, o regimento, e nem vá contra os objetivos e finalidades para as quais foi criado o espaço cultural”, disse. 
“Já temos pedido para uma exposição do pintor Marcondes, e uma do departamento de Educação. O principal objetivo é promover eventos para mostrar a diversidade da cultura afro-brasileira. O espaço abrigará projetos dos departamentos parceiros da Prefeitura e projetos que forem aprovados pelo conselho de eventos, como: exposições, oficinas culturais, palestras, mostras de arte, eventos folclóricos, teatro, música”, conclui Maria de Lourdes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário