segunda-feira, 28 de março de 2011

Noite de sábado...



Mesas todas ocupadas, gente sentada, gente de pé, estacionamento praticamente sem espaço, garçom pra lá, garçom pra cá, enfim, movimentação intensa. Assim defino o ambiente no famoso Bar do Peixotinho, em São João da Boa Vista, na noite de sábado, quando estive por lá, junto com o Toca do Pagode, grupo de qual faço parte, para uma apresentação naquela noite. Confesso que estava com muita ansiedade para ver a reação do público. Digo isso porque alguns amigos que costumam freqüentar o Peixoto, disseram-me que o ambiente é mais familiar, e que as pessoas ficam em suas mesas curtindo o som de maneira mais “comportada” - se é que posso usar esta colocação. Mas, resumindo, queriam me informar que o público não é dançar e muito menos de agitar. Fui pra lá pensando nisso. Mas, para a minha surpresa, ocorreu tudo de forma contrária. Fizemos uma apresentação com um repertório selecionado, e graças a Deus, conseguimos agradar a maioria.

Foi à primeira vez em que o Toca do Pagode esteve no Peixotinho. Interpretamos vários sucessos antigos como “Trem das Onze”, “Madalena”, “Isso aqui o que é”, “Samba do Arnesto”, além de canções do momento como “Ta vendo aquela lua”, “Fugidinhas”, e as músicas próprias do CD do Toca do Pagode: “Brilho no Olhar” e “Sorte no Amor”.
Do palco, nós integrantes, pudemos observar a presença de ilustres personalidades sanjoanenses e de cidades da região, que foram curtir a noite de sábado ao som do Toca do Pagode.
 Confesso ter visto muita gente que se diz não gostar de pagode, batucando nas mesas e se mexendo, enquanto as músicas eram executadas. Os mais exaltados deixaram as mesas e foram bem pertinho do palco sambar pra valer!

A renomada professora de dança e bailarina, Semíramis Lins, não perdeu a oportunidade e entrou no clima.

O casal de Vargem Grande do Sul, Kiko Maldonado (ex- vice -prefeito) e Ilza Bertolet (proprietária da Picolo Societá) aproveitou os bons momentos da noite de sábado.


Glorinha Aguiar, escritora (autora de cinco livros publicados) e especialista em educação criativa, também marcou presença. Enfim, um público bem eclético. A produtora do Toca, Rosângela Nogueira, registrou toda a reação do público por meio de fotos.

Modestamente expresso a opinião de que fiquei com excelente impressão do lugar, e chegando à seguinte conclusão: com o Toca, ninguém fica parado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário